R. Dona Adma Jafet , 115, Bela Vista | Hospital Sírio-Libanês - São Paulo (11) 4750-1195 contato@ortopedistajoelho.com.br


Reconstrução do Ligamento Colateral Medial do Joelho

Podemos dividir o joelho em quatro regiões: interna (medial, que fica próxima do outro joelho), externa (lateral, que fica do lado oposto ao medial), frente e trás. Na parte interna (medial), existe o ligamento colateral medial do joelho, que pode sofrer lesão de três formas:

  • Quando sofremos um trauma (pancada) que vem da parte externa em direção à interna, ou seja, de lateral para medial;
  • Após movimentos rotacionais (giros);
  • Combinação de forças.

Assim como na lesão do ligamento cruzado anterior, a lesão do ligamento colateral medial ocorre mais em homens, principalmente durante a prática esportiva (futebol, vôlei, handball, basquete, skate, etc.); mas também pode ocorrer após um escorregão, queda de escada, atropelamento, queda de moto, etc.

Por outro lado, diferente da lesão do ligamento cruzado anterior, a maioria dessas lesões ocorre sozinha, sem nenhuma outra estrutura envolvida (ex.: menisco, outros ligamentos, etc.). Geralmente, lesões mais graves do ligamento colateral medial ocorrem combinadas a lesão de outras estruturas, sendo a principal delas o ligamento cruzado anterior.

O lado “bom” dessa lesão

Apesar de nunca ser bom sofrer qualquer tipo de lesão, a vantagem biológica de se romper o ligamento colateral medial frente aos demais ligamentos do joelho é o seu alto potencial de cura. Desse modo, a chance de obter bons resultados com o tratamento desse ligamento é superior aos demais.

Todavia, a chance diminui quando o paciente sofre lesão de múltiplos ligamentos (para mais detalhes, acesse a página sobre lesão do canto posterolateral e de múltiplos ligamentos), pois, obviamente, o trauma sobre o joelho é maior e sua capacidade de cicatrização se torna comprometida.

Tratamento da lesão do ligamento colateral medial

Como o potencial de cicatrização desse ligamento é alto, a maioria dos casos pode ser tratada sem cirurgia, ou seja, com imobilização gessada ou pré-fabricada, repouso relativo, medicamentos e fisioterapia. Nas raras situações em que o ligamento não cicatriza, optamos pela reconstrução do ligamento colateral medial, assim como fazemos para o ligamento cruzado anterior e demais ligamentos.

Quando a lesão do ligamento colateral medial é combinada com fraturas, pode ser necessário fazer o reparo cirúrgico da lesão, que consiste na fixação da fratura (com parafusos, grampo ou placa) com ou sem sutura do ligamento (i.e., costurar o ligamento).

Para os casos associados a lesão de cartilagem e menisco, ou do ligamento cruzado anterior, podemos optar tanto pelo tratamento não cirúrgico ou cirúrgico do ligamento colateral medial conforme a gravidade do caso. As lesões de cartilagem, menisco e do ligamento cruzado anterior são tratadas também conforme as características dessas lesões (para mais detalhes, acesse as páginas de lesão de cartilagem, lesão de menisco e do ligamento cruzado anterior).

Nas situações em que existe lesão do ligamento colateral medial e de outros múltiplos ligamentos, normalmente realizamos o tratamento cirúrgico, que consiste na reconstrução de todos os ligamentos afetados. Existem também outras opções de tratamento, como imobilizações gessadas, fixadores externos, reparos (costura) e osteotomias (para mais detalhes, acesse a página sobre lesão do canto posterolateral e de múltiplos ligamentos do joelho). A escolha do tratamento varia conforme o caso, devendo ser avaliada pelo ortopedista especialista em cirurgia de joelho.

Perguntas
Frequentes

Não. Mesmo se optado por não operar o joelho, é necessário reabilitar (fazer fisioterapia) antes de qualquer coisa.
Com a lesão de algum ligamento importante do joelho (ex.: o ligamento cruzado anterior, ligamento colateral lateral, etc.), o joelho se movimenta anormalmente. Por conta disso, o joelho desgasta mais rápido, processo esse conhecido como artrose.
O joelho lesado não será exatamente como antes, mas com a cirurgia é possível retomar as atividades do dia-a-dia e recuperar a qualidade de vida. Não tratar (com ou sem cirurgia, conforme a indicação) significa condenar de vez a saúde do seu joelho.
Nem sempre. Nos casos em que o tempo de cirurgia se prolonga muito, é comum realizarmos o tratamento em duas etapas para minimizar os riscos de infecção, trombose, etc. Verifique o seu caso com o especialista em cirurgia do joelho.
Não há urgência para reconstruir os ligamentos do joelho, a não ser em casos com fratura. Ao contrário, na maioria dos casos é recomendado aguardar alguns dias antes de operar para melhorar os resultados e minimizar os riscos de complicações.

Entre em
Contato

Ainda tem alguma dúvida sobre como o Dr. Carlos Vinicius pode tratar a sua lesão? Preencha o formulário abaixo e nos envie uma mensagem!

Enviar

Receba Gratuitamente Nossa

Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter e receba gratuitamente nossas novidades, dicas e informações.

Gostaria de agendar e receber uma chamada em outro horário?

Você já é a 5 pessoa a solicitar uma ligação.

Deixe sua mensagem! Entraremos em contato o mais rápido possível.

Você já é a 3 pessoa a deixar uma mensagem.

Powered by: