R. Dona Adma Jafet , 115, Bela Vista | Hospital Sírio-Libanês - São Paulo 11 3394.5007 contato@ortopedistajoelho.com.br


Osteoporose

Mulheres a partir dos 65 anos e homens a partir dos 70 anos apresentam maior risco de ter osteoporose. Essa condição precisa ser prevenida, ou diagnosticada e tratada. O maior problema provocado pela osteoporose é a fragilidade óssea, permitindo que traumas (pancadas) de baixa intensidade (i.e., com baixa energia cinética) causem fraturas, algumas graves como fraturas do fêmur e outras menos graves como fraturas do punho.

O problema não acaba com a fratura. Fraturas graves como as que ocorrem no quadril (ex.: no colo do fêmur e transtrocanteriana) são:

  • Obrigatoriamente cirúrgicas;
  • Impõem risco de vida ao idoso;
  • Apresentam taxa de mortalidade relativamente elevada, que é diminuída com o tratamento cirúrgico;
  • Debilitam o idoso e prejudicam sua qualidade de vida mesmo com o tratamento adequado.
  • Outro problema ocasionado pela osteoporose são as deformidades e dor na coluna. Conforme as vértebras fraturam “silenciosamente”, o idoso vai se tornando “corcunda” e sua estatura diminui. Junto a isso, o idoso pode sentir dor na coluna, tanto pela fratura, quanto pela alteração mecânica produzida pela deformidade na coluna.

    Tratamento para osteoporose e as fraturas decorrentes dela

    O principal ponto do tratamento da osteoporose é seguir as recomendações de prevenção, pois nunca é tarde para aderir a hábitos de vida saudáveis. Dentre eles, a prática de atividade física é o hábito de maior impacto positivo para prevenir fraturas.

    Existem medicamentos que auxiliam no controle da osteoporose (ex.: bisfosfonatos, denosumabe, cálcio, vitamina D, etc.), mas sua eficácia para prevenir fraturas está longe de ser 100%. Por isso, insistimos nos hábitos de vida saudáveis e no acompanhamento médico periódico.

    O tratamento das fraturas envolve, além dos itens acima já descritos, imobilizações gessadas, placas, parafusos, hastes e próteses. A escolha de cada opção depende do osso fraturado e as características da fratura avaliadas pelo ortopedista.

Perguntas
Frequentes

Ambas são doenças tipicamente dos idosos, embora possam ocorrer também em pessoas mais jovens. Porém, enquanto a osteoporose é uma doença silenciosa, a artrose é uma doença dolorosa desde o início.
O maior problema provocado pela osteoporose é a fragilidade óssea, permitindo que traumas (pancadas) de baixa intensidade (i.e., com baixa energia cinética) causem fraturas, algumas graves como fraturas do fêmur e outras menos graves como fraturas do punho.
Coluna vertebral (vértebras torácicas e lombares principalmente); Quadril: fratura do colo do fêmur e região transtrocanteriana (também chamada de intertrocantérica ou pertrocantérica); Punho: fratura do rádio distal. Além desses três locais mais comuns, frequentemente atendo pacientes idosos com fraturas em outros sítios, como: Joelho: fratura do planalto tibial e supracondiliana do femur; Tornozelo: fratura do maléolo medial e do maléolo lateral; Coxa: fratura subtrocantérica; Braço: fratura da diáfise do úmero; Ombro: fratura da região proximal do úmero (ex.: colo cirúrgico do úmero); Cotovelo: fratura supracondiliana do úmero.
Para prevenir a osteoporose e as fraturas decorrentes dessa condição, a primeira coisa é ter hábito de vida saudável desde a mocidade (alguns exemplos): Alimentação variada, com boa oferta de proteína, cálcio e demais nutrientes; Prática sistemática de atividade física; Exercitar o intelecto: pessoas mais ativas intelectualmente se tornam idosos mais ativos e menos propensos a sofrer fraturas por osteoporose; Evitar abuso de álcool; Não aderir ao tabagismo.
Mulheres, principalmente se tiver menopausa precoce; Baixa massa corporal (pessoas muito magras); Histórico familiar de fratura por osteoporose; Tabagistas; Sedentários; Doenças que atrapalham o metabolismo ósseo (ex.: artrite reumatoide, doenças renais, doenças pulmonares, etc.); Uso de corticoides (ex.: prednisona, metilprednisolona) por mais de 3 meses; Alcoólatras; Má nutrição.

Entre em
Contato

Ainda tem alguma dúvida sobre como o Dr. Carlos Vinicius pode tratar a sua lesão? Preencha o formulário abaixo e nos envie uma mensagem!

Enviar

Receba Gratuitamente Nossa

Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter e receba gratuitamente nossas novidades, dicas e informações.

Gostaria de agendar e receber uma chamada em outro horário?

Você já é a 5 pessoa a solicitar uma ligação.

Deixe sua mensagem! Entraremos em contato o mais rápido possível.

Você já é a 3 pessoa a deixar uma mensagem.

Powered by: