R. Dona Adma Jafet , 115, Bela Vista | Hospital Sírio-Libanês - São Paulo (11) 4750-1185 contato@ortopedistajoelho.com.br


Deformidades nos Joelhos das Crianças

A criança é um ser humano em desenvolvimento. Como tal, todo o seu corpo se modifica a cada dia que passa até se tornar um adulto. O joelho da criança, por sua vez, acompanha o processo de desenvolvimento do restante do corpo. Primeiro, a criança nasce com o joelho mais “pra fora” (chamamos isso de varo); com o passar dos meses, o joelho se torna reto; após mais alguns meses, o joelho adquire um formato bem “pra dentro” (chamamos isso de valgo); e, por fim, o joelho assume o formato externo de um joelho adulto.

Como você pode observar, cada faixa etária apresenta um padrão de angulação (formato) do joelho. Entretanto, existem situações em que o joelho fica excessivamente varo ou valgo, ou em que a criança já nasce com o joelho deformado (muito dobrado ou muito esticado).

Não tem como os pais saberem exatamente qual a angulação normal esperada para o joelho de seus filhos. Por isso, quando os pais, ou outras pessoas, notarem alguma aparente anormalidade no formato dos joelhos de seus filhos, a avaliação do ortopedista se faz necessária para dirimir a questão deformidades nos joelhos das crianças.

Deformidades em hiperextensão do joelho

Essa alteração é congênita, ou seja, a criança nasce com ela. A deformidade em hiperextensão é visível logo ao nascimento (no recém-nascido), pois ela chama muito a atenção de todos já na sala de parto (obstetra, pediatra neonatologista, enfermeiros, etc.). Nessa condição, os joelhos estão exageradamente estendidos a ponto da criança, nos casos mais severos, praticamente encostar os pés na boca.

O tratamento, preferencialmente, é realizado ainda quando a criança é um recém-nascido, e a modalidade de tratamento depende da severidade da deformidade:

Manobras manuais: Nessa técnica, fazemos movimentos (as chamadas manobras) no joelho para corrigir a deformidade. Quando obtemos a correção, utilizamos uma imobilização gessada (“gesso”) para manter o joelho na posição correta. O “gesso” é trocado periodicamente até que o joelho se “acostume” na posição correta, não mais necessitando do “gesso”.

Medicamentos: Alguns pacientes com deformidades um pouco mais severas necessitam da injeção de medicamentos (ex.: anestésicos, e o famoso “Botox”) para auxiliar nas manobras manuais de correção do posicionamento dos joelhos.

Cirurgia: Nos casos mais graves, quando não é possível corrigir a deformidade com manipulação manual e imobilização gessada, optamos pelo tratamento cirúrgico. A cirurgia consiste em realizar, primeiro, procedimentos para alongar a musculatura e demais estruturas do joelho, permitindo a correção da deformidade. Quando a primeira etapa não permite a correção completa da deformidade, acrescentamos procedimentos nos ossos, as chamadas osteotomias (para mais detalhes, acesse a página sobre osteotomias). Outra opção utilizada para casos muito graves é a técnica de correção com fixador externo circular de Ilizarov, popularmente conhecido pelo nome “gaiola”. Embora exista culturalmente um certo estigma para este dispositivo, ele é muito utilizado na especialidade ortopédica devido aos excelentes resultados obtidos em casos mais graves.

DeformidadeS em flexão dos joelhos das crianças

Também é uma deformidade congênita, em que a criança já nasce com ela, e pode ser por duas causas: luxação da patela e contratura do joelho. Você pode conferir sobre a luxação congênita da patela na página específica deste site. Aqui, comentarei somente sobre a contratura em flexão do joelho.

A contratura em flexão é o contrário da deformidade congênita em hiperextensão. Enquanto nesta última o joelho fica muito esticado, na contratura em flexão o joelho fica muito dobrado (flexionado). A contratura pode ser bem leve sem necessidade de um tratamento formal, como por exemplo manipulação manual e imobilização gessada; ou pode ser severa, necessitando de tratamento com imobilização gessada e até cirurgia.

Os recém-nascidos com contratura muito grave geralmente são portadores de doenças que, na verdade, são a causa da deformidade nos joelhos. Isso é avaliado pelo ortopedista e especialistas de outras áreas que avaliam a criança na maternidade (ex.: neonatologista, geneticista, entre outros).

Perguntas
Frequentes

Dependendo da idade, sim. A criança não é um adulto em miniatura, mas um ser humano em desenvolvimento. Isso precisa respeitado. Por isso, a técnica cirúrgica é diferente.
Se os pais, ou terceiros, detectam alguma anormalidade na criança, recomendo que busquem avaliação médica. Se não for nada, melhor; mas se for, tratamos e acompanhamos.
As deformidades do joelho são melhor tratadas quando a criança ainda é pequena. Por isso, recomendo avaliação com ortopedista o quanto antes.
Na maioria dos casos, pode se tratar de dor de crescimento, mas é importante avaliação com ortopedista para determinar se não se trata de outra causa. Caso seu filho apresente febre, algum caroço ou não consiga nem apoiar a perna no chão (num período de mais de 1 hora), recomendo que busque avaliação médica imediata.
Felizmente, na maioria das vezes, trata-se do desenvolvimento neuromotor da criança; mas, podem existir distúrbios que prejudicam a capacidade da criança andar, como o valgo excessivo dos joelhos, distúrbios neurológicos, distúrbios do labirinto, etc. Por isso, recomendo avaliação com ortopedista.

Entre em
Contato

Ainda tem alguma dúvida sobre como o Dr. Carlos Vinicius pode tratar a sua lesão? Preencha o formulário abaixo e nos envie uma mensagem!

Enviar

Receba Gratuitamente Nossa

Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter e receba gratuitamente nossas novidades, dicas e informações.

Gostaria de agendar e receber uma chamada em outro horário?

Você já é a 5 pessoa a solicitar uma ligação.

Deixe sua mensagem! Entraremos em contato o mais rápido possível.

Você já é a 3 pessoa a deixar uma mensagem.

Powered by: